OBJETIVO DO JORNAL
A função social deste jornal é analisar criticamente fatos nacionais e internacionais por uma ótica marxista-leninista.
BLOGUISTAS
• OPERÁRIO SINDICALIZADO
• SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL
• AMBIENTALISTA DE PURO CORAÇÃO
• RAPPER FEMINISTA
• PRESIDENTE DE DIRETÓRIO ACADÊMICO
• CORRESPONDENTE ATEU
• MANIFESTANTE ANTI-E.E.U.U.
 FONTES PROLETÁRIAS
 REVOLUCIONÁRIAS
 AGÊNCIAS
 POPULARES DE NOTÍCIAS
 ORGANIZAÇÕES
 POPULARES DEMOCRÁTICAS
 CAMARADAS FAMOSOS
 SITES AMBIENTAIS
 POPULARES DEMOCRÁTICOS
ARQUIVO REVOLUCIONÁRIO
CONTRIBUIÇÕES RECENTES
quarta-feira, fevereiro 20, 2013
Redes sociais ou redes capitais? Alienação e contradições da tecnologia burguesa no mundo pré-revolução
Manifestante Anti-E.E.U.U.


O alarde na mídia golpista sobre a suposta dissidente cubana Yoani Sánchez (na verdade, agente dos irmãos Castro e da CIA), atualmente em visita ao Brasil e a outros centros do capitalismo selvagem, expõe uma das chagas nas veias abertas da luta de classes e da Revolução universal: a consolidação das "redes sociais" como instrumentos de alienação das massas!

Na verdade tais redes, que servem unicamente ao propósito das grandes corporações e ao projeto totalitário liberal, nada têm de social: são REDES CAPITAIS, que obedecem à lógica do neoliberalismo desenfreado, da desigualdade social, da depredação ambiental e da exploração do homem pela máquina!

As redes capitais exercem dois grandes efeitos sobre os alienados, afastando-os da consciência de classe e da mobilização revolucionária. O primeiro é a descontextualização: os usuários das redes capitais são levados a crer que existem como indivíduos, esquecendo sua condição de partes indissociáveis e indistintas do Povo. Acreditam que "possuem" uma rede limitada de amizades, quando seu único amigo verdadeiro é o Povo em sua totalidade. Tornam-se seguidores de personalidades do Twitter cujas agendas ocultas são nefastas. Ora, o revolucionário não segue ninguém, a não ser o Partido!

O segundo efeito sobre os usuários das redes capitais é a necessidade de emitir opiniões. Essa necessidade patológica, sub-repticiamente incutida em seus cérebros pelo aparato neocon de dominação social, é fruto de pesquisas avançadas de controle das massas realizadas por centros de neurociências israelenses, cujo primeiro sucesso tornou-se a mãe das técnicas de alienação na teia (web, na língua do opressor): o ICQ. Agentes do imperialismo infiltrados nas redes capitais sutilmente direcionam as opiniões supostamente individuais dos usuários, através de curtidas e outros artifícios, incentivando perigosas idéias reacionárias em milhões de pessoas através de um ardiloso processo de lavagem cerebral coletiva. Outros agentes, como os reacionários Yoani Sanchez, Leonardo Sakamoto e Luís Nassif, despejam suas mentiras aos borbotões nas redes capitais, contaminando o debate com valores burgo-fasci-libertários explícitos ou ocultos nas entrelinhas.

Devemos recrudescer a resistência à alienação provocada pelas redes capitais, utilizando seu alcance para divulgar a causa popular! O revolucionário deve utilizar esses meios para divulgar conteúdo aprovado pelo Partido, compartilhando e twittando as denúncias veiculadas pelo Opinião Popular, único avatar do Povo neste universo virtual criado e mantido por Washington!

Contudo, lembramos que os camaradas devem se abster de entrar em discussões com chacais da burguesia, uma vez que o Partido não dispõe de estrutura para fornecer respostas em tempo real. Tais discussões não passam de armadilhas, pois o intuito do debatedor burguês, treinado nas mais terríveis técnicas de dissuasão desenvolvidas pelos serviços secretos capitalistas, é tentar o camarada a emitir opiniões sem a aprovação do Partido, afastando-o do correto caminho revolucionário. Caso o embate seja inescapável, apenas conteúdo existente no sítio do Opinião Popular deve ser publicado.

Lembramos também que a utilização das redes capitais é um ato político, visando a conscientização do proletariado e consequente Revolução. Após a Revolução nenhuma destas ferramentas será mantida. Como todos serão unos com o Partido, formando a única e verdadeira REDE SOCIAL, não haverá necessidade de qualquer tipo de comunicação verbal ou escrita entre as pessoas, mas apenas comunicação unilateral do Partido para elas.

AVANTE, SOCIALISMO! NO PASARÁN!
Contribuição para a causa às 21:44
Clique aqui para contribuir para o debate aberto através do "Blogger" (5)
Ou dê sua contribuição democrática através do Livro de Rostos:
terça-feira, fevereiro 19, 2013
10 perguntas que Havana não quer responder sobre Yoani Sanchez
Manifestante Anti-E.E.U.U.

Camaradas, salve a Revolução!

A visita ao Brasil da iníqua propagandista pró-EEUU, Yoani Sanchez, levanta uma série de questões que nunca serão devidamente respondidas pelo principal ator desta conspiração burguesa contra o Povo: o governo castrista de Cuba.

Propagandeado como exemplo do verdadeiro socialismo, tal governo, composto por fantoches da burguesia internacional, nada mais faz do que criar e propagar uma imagem patética do socialismo. O objetivo dessa pantomima é ridicularizar a Revolução, em um esforço desesperado para deter o inevitável naufrágio do capitalismo neoliberal.

O sítio Pragmatismo Político, obviamente de direita e alinhado às estratégias de pichação do socialismo real, não tardou a formular perguntas a Yoani. Tais perguntas não apenas sugerem a superioridade das potências ocidentais nas ações de Contra-Revolução, mas também que Cuba é um país miserável por supostamente ser socialista (a principal teoria mentirosa é que o embargo imposto pelas multinacionais ianques traria pobreza a um país verdadeiramente socialista ).

A burguesia fede, e nós desmascaramos suas perfídias!

Abaixo, algumas perguntas que os verdadeiros revolucionários querem ver respondidas pelos farsantes de Havana:

1.Como pôde ser permitida a ida de Yoani à Suíça em 2002 para casar com um alemão? Todo suposto indivíduo pertence ao Povo e deve manter-se uno com ele, sob tutela do Estado, que é a manifestação política do Povo. Um regime verdadeiramente socialista nunca permitiria tal emigração, ainda mais tendo uma instituição burguesa (casamento) por justificativa. Como todos pertencem coletivamente a todos, conforme publicado neste sítio anteriormente, tal liberalidade é contra-revolucionária e inadmissível.

2. Quem permitiu que ela retornasse impune a Cuba em 2004? Como um traidor, maculado pelo germe burguês, poderia ser reaceito vivo no seio de uma pátria verdadeiramente socialista?

3. Quem permitiu sua saída novamente em 2013? Dispensa mais comentários.

4. Como explicar que Yoani criou e manteve um registro da teia (blog, na língua do opressor) subversivo por tanto tempo sem sofrer ação contumaz e legítima das forças de segurança populares?

5. Onde se encontram os 250 mil euros conseguidos por Yoani graças a premiações internacionais, uma vez que não foram apropriados pelo Estado? O governo cubano incentiva a propriedade privada?

6. O que ela faz para se conectar à Internet? O governo cubano permite livre acesso da população a tal ferramenta criada e monitorada pela CIA?

7. Como é possível que uma centena de seus mais de 400 mil seguidores no Twitter resida em Cuba? Além de acesso a internet, cubanos agora se rendem ao consumismo de informações?

8. Yoani afirma “Twitto por sms sem acesso à web”. Como pode publicar idéias subversivas por meio de um bem público, as redes de telefonia, sem anuência de alguém no governo?

9. Em 2011, Yoani publicou 400 mensagens por mês. O preço de uma mensagem de sms em Cuba é de 1,25 dólares. Por que as mensagens não são gratuitas, já que telefonia é um bem do Povo, para o Povo?

10. Quais interesses se escondem por trás desse governo?

Avante camaradas, contra a farsa neoliberal! Fora Obama! Fora Castro!
Contribuição para a causa às 22:22
Clique aqui para contribuir para o debate aberto através do "Blogger" (8)
Ou dê sua contribuição democrática através do Livro de Rostos: