OBJETIVO DO JORNAL
A função social deste jornal é analisar criticamente fatos nacionais e internacionais por uma ótica marxista-leninista.
BLOGUISTAS
• OPERÁRIO SINDICALIZADO
• SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL
• AMBIENTALISTA DE PURO CORAÇÃO
• RAPPER FEMINISTA
• PRESIDENTE DE DIRETÓRIO ACADÊMICO
• CORRESPONDENTE ATEU
• MANIFESTANTE ANTI-E.E.U.U.
 FONTES PROLETÁRIAS
 REVOLUCIONÁRIAS
 AGÊNCIAS
 POPULARES DE NOTÍCIAS
 ORGANIZAÇÕES
 POPULARES DEMOCRÁTICAS
 CAMARADAS FAMOSOS
 SITES AMBIENTAIS
 POPULARES DEMOCRÁTICOS
ARQUIVO REVOLUCIONÁRIO
CONTRIBUIÇÕES RECENTES
sexta-feira, maio 12, 2006
Cotas em universidades públicas
Servidor Público Federal

Obviamente, defendo até a morte as cotas em universidades públicas. No entanto, defendo em espectro maior que o proposto. Acredito que as mulheres têm direito a 70% das vagas, por serem tão exploradas durante a história brasileira. E que negros e indígenas têm direito a 45%. Outros 45% estariam reservados aos deficientes físicos e mentais, que tanto sofreram por toda a história com o preconceito contra eles. Dessa forma, a burguesia ainda tem direito a 10% das vagas nas universidades públicas - 7%, obviamente, destinados às mulheres burguesas.

O único contra-argumento possível é quanto aos deficientes mentais, mas é de um preconceito sem tamanho dizer que "os deficientes mentais são incapazes de aprender". Como se a Universidade fosse apenas um lugar para se aprender. Universidades são locais de interação social, e não se pode privar os deficientes mentais de interagir.

Não existe maneira correta pra sanar a dívida social brasileira que não essa.
Contribuição para a causa às 10:08

Ou dê sua contribuição democrática através do Livro de Rostos:

Postar um comentário