OBJETIVO DO JORNAL
A função social deste jornal é analisar criticamente fatos nacionais e internacionais por uma ótica marxista-leninista.
BLOGUISTAS
• OPERÁRIO SINDICALIZADO
• SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL
• AMBIENTALISTA DE PURO CORAÇÃO
• RAPPER FEMINISTA
• PRESIDENTE DE DIRETÓRIO ACADÊMICO
• CORRESPONDENTE ATEU
• MANIFESTANTE ANTI-E.E.U.U.
 FONTES PROLETÁRIAS
 REVOLUCIONÁRIAS
 AGÊNCIAS
 POPULARES DE NOTÍCIAS
 ORGANIZAÇÕES
 POPULARES DEMOCRÁTICAS
 CAMARADAS FAMOSOS
 SITES AMBIENTAIS
 POPULARES DEMOCRÁTICOS
ARQUIVO REVOLUCIONÁRIO
CONTRIBUIÇÕES RECENTES
segunda-feira, agosto 20, 2012
Belíssimo trabalho investigativo de Caros Amigos revela a face que a Direita não quer que o Povo veja
Operário Sindicalizado

Rogo que todos os camaradas leitores (muito embora a dicotomia leitor/escritor se haja desfeito dentro das fileiras do proletariado) adquiram da forma que for mais conveniente, por compra, assalto ou sequestro das bancas de jornais, a revista popular democrática Caros Amigos que chega às bancas nesta semana, de número 185.

Caros Amigos revela em primeira mão tudo o que a extrema direita neoliberal vêm escondendo há anos do Povo Brasileiro, denunciando todos os esquemas e ardis perpetrados pelo imperialismo estadunidense em solo nacional, através do Instituto Milênio.


Pesemos, porém, o fato de que Caros Amigos não é inteiramente confiável, pois fora criada por "Serjão", outrora integrante das Organizações Globo, do Grupo Bandeirantes e até mesmo tendo feito parte da revista Quatro Rodas da Editora Abril, que produz a revista baluarte do reacionarismo Veja - sendo Serjão portanto não apenas parte de toda a engrenagem capitalista, mas também tendo contribuído para a disseminação do chamado "American Way of Life" na América Latina (Brasil), pela promoção dos veículos automóveis caros e excludentes, produtores de poluição e destruidores do espaço urbano nacional.

Porém, mesmo em seio direitista pode surgir a verdade, e Caros Amigos não se furta à verdade proletária, mesmo que coração burguês bata em seu âmago.

Afirma a companheira Débora Prado:

Disfarçado de inofensivo, em sua carta de princípios, o IMIL já adianta um pouco a que veio: defende a liberdade do mercado acima de todas as outras, faz apologia ao individualismo e considera que a existência de marginalizados é fruto de infortúnios da vida, peças pregadas pelo destino ou má sorte – omitindo relações com o processo histórico e contexto social.

[...]

O que as entrelinhas do conteúdo veiculado pelo Millenium guardam é seu papel protagonista na reorganização de um projeto de extrema direita, que busca reafirmar a agenda neoliberal em um momento no qual a crise econômica global poderia incentivar a busca por novos modelos.

Precisamente.

O Povo se regozija com o trabalho investigativo executado por Débora Prado, que desnuda as conexões da hegemonia neoliberalista em terra brasileira, dos barões que se opõem aos direitos sociais populares.

Débora, evidentemente, não poderia ter publicado tal ensaio se não por denúncia e informações sigilosas que a si foram passadas. Fontes sigilosas no jornalismo, pois nada do que se afirma na prévia da reportagem pode ser encontrado no sítio do dito Instituto Milênio.

De fato, se visitarmos o sítio virtual do Instituto Milênio, não podemos encontrar senão odes ao proletariado e à revolução anti-burguesa. Não fosse o trabalho deborapradiano e de Caros Amigos, temo que o Povo jamais soubesse que tal instituto não passa de um canto de Iara do neoliberalismo estadunidense-oeste-europeu.

Cremos, entretanto, que os esforços de Caros Amigos são insuficientes e não revelam as outras conexões do globalismo financista.

Há, ainda, outros veículos na rede mundial de computadores que não se sabe se são amigas ou inimigas do povo; seus textos e demais publicações são ambíguos. Não se sabe se são comunistas aliados do povo ou burgueses militaristas pró-capital especulativo.

Clicando em qualquer texto, não é possível saber se defendem as conquistas sociais ou se defendem o poder das elites do neoliberalismo - assim, faz-se necessário novo trabalho investigativo de Débora Prado nos seguintes sítios: Instituto Mises Brasil, Libertarianismo, Brasil Liberal, Instituto Bastiat, Ordem Livre, entre muitos outros.

Somente um trabalho de investigação jornalística pode descobrir se tais veículos se opõem às conquistas do Povo, como à licença paternidade, porque, à primeira vista, se mostram inofensivos, mas podem, em análise aprofundada, se revelar não mais que veículos da extrema-direita que ludibriavam a população e escondiam suas reais intenções de manutenção da organização oligárquica da sociedade.

Ao trabalho, Débora Prado e demais Caros Amigos.
Contribuição para a causa às 22:56

Ou dê sua contribuição democrática através do Livro de Rostos:
Anonymous Anônimo, ÀS 23:25 DISSE: 
Se acharam o IMIL neoliberal, então se preparem para o que vão encontrar nos outros. O IMIL é socialista perto dos outros. A defesa da liberdade individual avança a passos largos, não há como parar. Os socialistas pira!
Anonymous Operário Sindicalizado, ÀS 23:49 DISSE: 
A burguesia perde suas amarras e adentra no Espaço Democrático de Debates de nosso jornal. Aqui não és bem vinda. Suma, escória opressora!
Anonymous Anônimo, ÀS 23:59 DISSE: 
Cabe também uma análise deste novo site que uns dizem ser da "novíssima direita" internáutica: www.adhominem.com.br . A questão é de onde vem esse dinheiro todo......
Anonymous Rafael Felipe, ÀS 00:10 DISSE: 
Em vez de ataques ali e aqui, por que não se sentam à mesa para discutir ideias? Peguem um tema concreto, um problema concreto e discutam sobre ele, para não cair em academicismo desnecessário.
Anonymous Anônimo, ÀS 01:27 DISSE: 
O neoliberalismo avança a passos largos no Brasil. Confesso que a possibilidade de existir uma forte relação entre estes sítios (em vez dos tão chamados 'sites', para evitar a língua do império) e a dura repressão do governo federal aos operários federais em greve não deve ser descartada. Mas a farsa da extrema-direita petisto-tucana está com os dias contados. Hasta la muerte!
Anonymous Anônimo, ÀS 01:59 DISSE: 
Companheiros, definitivamente a ideologia dominante tucano-petista-neoburguesista-neoestadunidense se encontra em toda parte. Estes sites (ou sítios, para não cair na terminologia exploradora burgueso-imperialista, como bem apontado pelo camarada anônimo anteriormente) citados pelo camarada autor do texto disseminam uma lógica fascínora, de uma ignomínia ululante e que deve ser combatida pela força da classe proletária e o estado social. Abraços e força na luta, companheiros!
Blogger Luís Afonso, ÀS 06:45 DISSE: 
O Brasil é tomado pelas ideologias Estadunidenses: à esquerda pela ideologia promovida por Hollywood, de Jane Fonda a Sean Penn passando pelo peso-pesado Michael Moore e à direita pela tradição dos Pais-Fundadores, Ayn Rand & Ronald Reagan.

Nada do que é pensado ou falado nesta terra é original, somos uma grande China das idéias. As copiamos e passamos à frente sem ter nunca as compreendido.
Mas aqui cabe uma ressalva: os liberais tupiniquims ainda tentam entender alguma coisa, enquanto os esquerdistas ainda falam os mesmos discursos ocos dignos de Stálin...


Anonymous Anônimo, ÀS 22:30 DISSE: 
Este é só o começo, a LIBERDADE irá triunfar no Brasil, é apenas questão de tempo.
Anonymous Anônimo, ÀS 10:15 DISSE: 
Essa revista também é neoliberal-de-extrema-direita-tucano-petista-privatista-pro-E.E.U.U.
Pelas barbas de Marx!!Onde já se viu uma revista que diz ser de esquerda ter um nome que faz apologia a divisão de classes e ao consumismo?
Fosse uma revista com foco na função e justiça social se chamaria "amigos sem classes" ou "amigos estatizados".
É como eu disse para os camaradas Assad, Putin e Ahmadinejad:
Se não fosse a internet e os blogueiros progressistas, independentes e financiados com dinheiro público, estariamos dominados por esse engodo ocidental chamado liberdade.
Anonymous Anônimo, ÀS 02:01 DISSE: 
Saudação vermelha ao pessoal do site.

Que os verdadeiros proletariados não se enganem, a CAROS AMIGOS é sim uma revista vendida ao capital estrangeiro especulativo. Se faz de oposição ao neoliberalismo pela frente mas, por trás, vive das esmolas recebidas por esses ianques imperialistas.

Mas de qualquer forma, essa excelentíssima repórter Débora Prado bem que poderia investigar esses tanques de pensamentos como Instituto Mises, Ordem Livre e Libertarianismo. Ainda me soa bastante obscuro essas empreitadas.
Anonymous davi, ÀS 14:47 DISSE: 
hahahahaha. Mas tem que ser muito ruim de investigação mesmo pra dizer que o perfil de "Mises" no brasão do IMB é uma referência a Costa e Silva. Aquele perfil não é de Mises, é de Rothbard, um anarquista. Compara um anarquista com um general militar estatista? Por favor, neh?!

Postar um comentário